Projeto Eu vim assim: aprendizagem com as matrizes musicais paulistas

O pesquisador Walter de Sousa está coordenando o projeto Eu vim assim em colaboração com Os Ditos, buscando documentar os principais ritmos tradicionais paulistas em sua forma atual diretamente na fonte e produzir uma parceria musical entre os polos rural/interior e urbano/cosmopolita. Trata-se de uma vivência de aprendizado com fontes primárias de catira, moda de viola, cururu, moçambique, congada e folia de Reis, culminando em uma obra autoral de intercâmbio a ser materializada em um EP e um documentário.

Walter de Sousa é pesquisador da cultura popular e autor, entre outros, do livro Moda Inviolada – Uma História da Música Caipira (Quiron, 2005). Este livro está norteando o novo projeto pois traz ampla referência sobre estas manifestações folclóricas.

Os Ditos posters.
Livro Moda Inviolada – Uma história da Música Caipira de Walter de Sousa. Nas páginas acima, imagens de São Gonçalo e instrumentos musicais em fotos de Vademi Silva

Marc Florindo e Paulo Pepe, integrantes fundadores dos Ditos, cresceram na região de Rio Claro e possuem fortes laços com a cultura caipira, o que se revela na miscigenação musical de suas composições. O convite para desenvolver este trabalho com Walter de Sousa foi recebido com festa porque o método de pesquisa proposto—intercâmbio—é consoante com a abordagem que Os Ditos vêm utilizando recentemente em seu processo criativo.

Os Ditos posters.
Livro Moda Inviolada – Uma história da Música Caipira de Walter de Sousa. Na página acima, a dupla Palmeira e Biá em foto preservada na coleção Antônio Mortarelli.

O nome do projeto é uma referência à música Eu vim assim dos Ditos, a qual fala justamente destas raízes. Composta por Marc Florindo, Paulo Pepe e Rivaldo Giancotti, ela é um autorretrato de brincante brasileiro. O vídeo clipe oficial da música foi gravado durante a Festa do Boi no Morro do Querosene, tradicional reduto paulistano de arte popular.

A. Video clipe oficial Eu vim Assim, gravado no Morro do Querosene, São Paulo. B. Os Ditos tocando Eu vim assim no Casarão da Mariquinha em Mogi das Cruzes, com Kelly Silva, Batuqueiros de Mogi, Thiago Nagô e Sarah Key.

Desde sua fundação o grupo tem norteado seu trabalho pelas festas populares e suas raízes africanas, indígenas e ibéricas. Walter de Sousa nota, no entanto, certas características na forma como essas culturas contribuem na formação do universo caipira, especificamente na região Sudeste, ou mais exatamente na assim chamada Paulistânia, onde viveu e vive o caipira.

Walter de Sousa resume: “A pesquisa de gêneros tradicionais como fonte de inspiração para composições novas é uma prática comum. No entanto há pouca experiência com os gêneros tradicionais paulistas, aqui neste projeto chamados de matrizes musicais. De forte influência ibérica, particularmente por conta dos instrumentos viola e rabeca, elas apresentam forte aculturamento das expressões africanas e indígenas. O projeto Eu Vim Assim tem por finalidade analisar in loco seis dessas expressões de modo a gerar conhecimento novo sobre as mesmas e, ao mesmo tempo, alimentar a produção musical de um grupo que vem trabalhando há vários anos com influências de música tradicional na sua trajetória autoral”

Além de Walter de Sousa, o Dito Paulo Pepe também se dedica à pesquisa em cultura popular. Sua pesquisa acadêmica Congadas — Tradição em Movimento , desenvolvida entre 2014 e 2015, mostra como os grupos de Congada se tornaram agremiações sócio-religiosas onde o senso de pertencimento das comunidades negras é exercido e mostrado através da sua dança devocional.

Os Ditos posters.
Congada, fotografia de Paulo Pepe.

Esta pesquisa teve a figura humana como tema central e a consagração de um folguedo popular como pano de fundo, mantida pelas comunidades à custa de fé, devoção, sociabilidade e tradição. O tema não foi tratado com a nostalgia que geralmente envolve as pesquisas folclóricas, nem com a bandeira da “preservação” da cultura, mas considerando o movimento sócio-cultural que inclui hibridismos que permitem a sobrevivência de uma expressão—surgida no período Colonial—em pleno século 21, e discute qual sua função social em tempos tão diferenciados daqueles que ensejaram o seu surgimento.

Integrantes do projeto Eu Vim Assim

Pesquisador Walter de Sousa.
Walter de Sousa.

Walter de Sousa. Professor doutor pela Escola de Comunicações e Artes da USP, é autor dos livros: Moda inviolada – Uma história da Música Caipira (Quíron, 2006), Mixórdia no picadeiro – Circo-teatro em São Paulo (1930-1970) (Editora Terceira Margem, 2011) e Piolin, o corpo e a alma do circo (ECA, 2016). Com o mesmo nome, dirigiu documentário agraciado com o Prêmio Funarte Petrobrás Carequinha de Incentivo à Pesquisa.

Compositor, cantor e fotógrafo Paulo Pepe, integrante dos Ditos.
Paulo Pepe.

Paulo Pepe. Compositor, cantor e integrante dos Ditos. Autor da pesquisa Congadas — Tradição em Movimento, 2015. Bacharel em Fotografia pelo Centro Universitário SENAC. Publicações: Saci, pela Editora Mundo Mirim, The Black Book, com artistas do curso de Poéticas Fotográficas do SESC-SP. Exposição coletiva Herança Compartilhada- Imigrações Recentes, no SESC Bom Retiro. Diretor de fotografia do documentário Bienvenido a Boavista, pela Maculelê Filmes.

Compositor, músico e artista gráfico Marc Florindo, integrante dos Ditos.
Marc Florindo.

Marc Florindo. Compositor, autor, músico e artista gráfico integrante dos Ditos. Estudou contrabaixo e tocou na Orquestra Sinfônica de Rio Claro. Um dos fundadores da Banda Griot. Designer e artista gráfico, fundou e esteve à frente da Caso Design por mais de duas décadas. Formado em Marketing pela Universidade Anhembi Morumbi com especialização em branding pela Troiano Branding.

Artista multidisciplinar Rivaldo Giancotti, integrante dos Ditos.
Rivaldo Giancotti.

Rivaldo Giancotti. Compositor, músico, engenheiro de gravação e mixagem, e artista multidisciplinar integrante dos Ditos, com trabalhos apresentados em organizações como SESC Santo Amaro, Centro Cultural São Paulo, Auditório MASP, Rádio Cultura FM, TV Cultura, Galeria de la Lotería Nacional na Cidade do México, ProArts Gallery na Califórnia, e Lincoln Center em Nova York.

Elizete Paulo, produtora artística dos Ditos.
Elizete Paulo.

Elizete Paulo. Empreendedora e produtora artística integrante dos Ditos. Formada em Processos Gerenciais pela Universidade Anhembi Morumbi.

Contato: Dito Cujo Produções | Elizete Paulo | producao@osditos.com.br